// Notícias
10 HABITOS QUE PREJUDICAM SEU TREINO

É fato: alimentação adequada e um bom treinamento ajudam a melhorar o desempenho na corrida. Mas existem alguns hábitos comuns no dia a dia que podem prejudicar o rendimento de quem está dando os primeiros passos no esporte – e colocar tudo a perder. Confira aqui como ficar longe desses vilões!

1. Não consultar um médico
Correr é uma atividade empolgante: você começa com um treininho e vai aumentando o tempo, a distância… Sem perceber, passa a correr horrores. Mas você passou por uma consulta médica antes de se jogar na atividade? Geralmente, as pessoas esquecem disso. Portanto, muita atenção: faça os exames necessários, a fim de checar se está tudo certo com a sua saúde (articulações, pressão, coração, músculos e circulação). Encarar uma rotina de treino é um hábito incrível, mas pode se tornar prejudicial se não estiver tudo sob controle.

2. Usar tênis novos no treino
Ledo engano acreditar que tênis recém-adquiridos são garantia de sucesso no treino. Os tênis precisam estar gastos e com o formato de seus pés para não machucar, fazer bolhas ou até mesmo causar alguma lesão mais séria – como uma torção, por exemplo. Compre o tênis e use-o por pelo menos uma semana no dia a dia antes de fazer a estreia no treino.

3. Não descansar o suficiente
A gente sabe que o corpo humano precisa de sete horas diárias de sono, mas geralmente não respeita essa recomendação. Muitas vezes, com a correria do dia a dia, nem é possível respeitar. Porém, é bom saber que iniciar um treino com o corpo cansado aumenta o risco de lesões – e todo o prazer gerado pela endorfina pode ser jogado fora. Exausto, você se sente pesado, sem disposição e não vai cumprir corretamente sua planilha. Portanto, se não estiver bem, descanse.

4. Aumentar o ritmo sem estar preparado
A corrida vicia e, num piscar de olhos, sem perceber, você aumenta o tempo e o percurso habituais. Mas será que está pronto para isso? O aumento, tanto de distância quanto de tempo, deve ser gradativo e preferencialmente acompanhado por um profissional, para que não haja um desgaste maior do que o corpo aguenta. Estressar a musculatura e a mente é perigoso e não vale a pena.

5. Sentir dores e não parar o treino
É normal sentir certo desconforto, principalmente quando você começa a correr. No entanto, dores no peito, braço ou estômago podem ser sintomas de que algo não está muito bem. Se o desconforto vier acompanhado de sudorese excessiva, então… Hora de parar o treino e ouvir o corpo. Se as dores durante as sessões seguintes persistirem, procure um especialista. Sua saúde é mais importante do que tudo.

6. Não controlar a alimentação
Aqui, não é questão de fazer dieta. Treinar requer controle do que se come. Afinal, o corpo precisa de mais nutrientes para suportar a rotina de treinos. Muita gente acredita que se entupir de isotônicos, vitaminas ou carboidratos, importantes para gerar energia, é a melhor solução. Nada disso. Em excesso, todos causam mal estar. Os isotônicos, por exemplo, são ótimos para hidratar rapidamente o corpo; em contrapartida, se ingeridos em excesso, podem causar problemas, por causa da quantidade de sódio. O mesmo vale para suplementos alimentares, comumente utilizados por esportistas. O ideal é procurar um nutricionista para adequar a sua alimentação à rotina de treinos.

7. Treinar ladeira abaixo
Um dos fatores mais prejudiciais para as articulações é correr ladeira abaixo. Além do esforço duplicado para manter o equilíbrio, você tem que lutar contra o impacto e a força das passadas – e pode se desgastar muito mais. Se a ladeira estiver em seu percurso, tente controlar a velocidade e amenizar o treino na descida.

8. Não aquecer o corpo
Nem tente começar a correr sem fazer um aquecimento antes. Aquecer o corpo é fundamental para que seu treino renda mais e para evitar possíveis lesões. Pequenas trotadas ou uma caminhada em ritmo moderado para forte são as melhores opções. Cuidado com o alongamento antes do treino: se você exagerar na amplitude dos movimentos ou no tempo de duração da postura, pode causar estiramento das fibras musculares e se machucar.

9. Ignorar a frequência cardíaca
Treinar sem acompanhar seus batimentos cardíacos é um grande erro. Além de usar o frequencímetro nos treinos, é sempre bom conferir sua frequência cardíaca logo ao acordar. Se estiver dez ou mais batimentos acima do normalmente encontrado em suas aferições, fique atento. Pode ser um sinal de que seu corpo não está recuperado da atividade física feita anteriormente.

10. Não realizar treinos complementares
Correr é tudo de bom: emagrece, melhora o condicionamento físico, dá energia… Entretanto, ao fazer sempre o mesmo exercício, o corpo acostuma e entra em uma zona de conforto. Sem contar que se você não realizar um trabalho muscular paralelamente à corrida pode haver o risco de lesão. Para que isso não aconteça, coloque na rotina uma outra atividade física – vale musculação, funcional, pilates, yoga, natação, circo ou qualquer outra modalidade que lhe dê prazer.


FONTE: SUA CORRIDA

// Outras Notícias
// Circuito da Lua / 82 3235.4054 / 82 9992.6539 / contato@circuitodalua.com